domingo, 26 de julho de 2009

TALENTO É PARA SER USADO!



"Mas o que recebera um foi, e cavou na terra, e escondeu o dinheiro do seu senhor” (Mat.25:18)


A parábola dos talentos contada pelo Senhor Jesus é uma das mais lindas ilustrações acerca de princípios do reino de Deus, em relação ao serviço que prestamos a Ele, antes de sua volta. Fala de oportunidades, privilégios e mordomia em relação a sua obra.
Jesus se auto-representa na parábola como um dono de terras que tem que se ausentar e confia a serviçais o trabalho em sua propriedade. Note que o trabalho é feito sem nenhuma fiscalização do patrão. Somente no final é que haverá o acerto de contas. A eles caberia trabalhar com toda a liberdade: “...Negociai até que eu venha” (Luc.19:13).
Isso fala da liberdade que cada um de nós temos para trabalhar aqui. Aparentemente não há uma fiscalização. Cada um de nós faz do jeito que entendemos que deve ser feito.
Reino de Deus ou Reino dos Homens – Ouvi dias desses de um obreiro frustrado com a conduta de homens desleais na obra de Deus, que infelizmente tudo na igreja não passa de reino humano, pois mesmo o Senhor vendo tantas coisas erradas acontecendo, ele permite e não intervém. Eu disse a ele que a obra é de Deus, independente dos homens que estão à frente, mas o acerto de contas de nossa mordomia e trabalho, será mais à frente. Por enquanto, continua esse “vale tudo” inescrupuloso de pessoas que tem visão de trono e não de reino.
Enfocando o Menor Jesus fala de três servos que receberam os talentos, segundo sua capacidade pessoal. Eram pessoas que certamente tinham a confiança irrestrita do seu senhor. Um recebeu cinco, outro dois e outro um, com toda a liberdade de usa-los como quisessem.
O que recebeu cinco, não titubeou, e saiu em busca de um retorno à confiança de seu senhor, da mesma forma fazendo o que recebeu dois. Mas o enfoque maior fica para o primeiro, e Jesus fez questão de destaca-lo negativamente:“Mas o que recebera um foi, e cavou na terra, e escondeu o dinheiro do seu senhor” (Mat.25:18).
O erro maior foi aquele trabalhador ter recebido os bens do seu senhor e negligenciado. Quantos jornaleiros não gostariam de estar no lugar daquele homem, mas o privilégio foi dado e ele, e por isso, seu senhor não conseguiu entender o seu desdém para com o talento recebido, pouco na verdade, mas era sua capacidade para aquilo (Mat.25:15).
Tentaremos nos colocar no lugar daquele homem, e analisar o por que, e por quais razões ele perdeu a oportunidade de ser um legítimo representante dos bens do empresário, que, diga-se de passagem, deixou aos cuidados dos trabalhadores suas terras, partindo para bem longe e demorando-se a voltar: “E muito tempo depois, veio o Senhor daqueles servos e ajustou contas com eles”(Mat.25:19). Tenhamos cuidado como cuidaremos das coisas do Senhor Jesus na sua ausência, ainda que a priori, pareça que Ele está demorando a voltar (Hab.2:3, Mat.25:5, Luc.12:45).
Mas por que ele enterrou o talento recebido? Eis algumas razões:
1)Não valorizou o que recebeu
Subestimou o talento recebido. Os recursos eram poucos e por isso julgou ele, desnecessário seu uso. Quem menos tem, passa por um processo de autocomiseração. Acham-se diminuídos e fragilizados ante a força do sistema, e por isso, se julgam sem nenhum valor perante os mais graduados em dons e talentos.
Talentos e dons são para serem usados independente de quantidade, pelo contrário, ainda que pouco, temos que empregar maior qualidade possível em seu uso.
Temos a tendência sempre de subestimarmos nossos poucos e parcos recursos por entender que quem tem mais, possui obrigações maiores. Mas o princípio divino do serviço do Reino revela-nos que nossas obrigações são iguais, independente de quanto temos ou fazemos.
2) Não achou lugar para usa-los
Na justificativa que ele deu ao seu senhor, no acerto de contas, isso fica bem claro: “...Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste”(Mat.25:24). Veja que ele enterrou o talento quem sabe na estranha esperança que ele germinasse, brotasse e enfim frutificasse, e quando viesse o senhor das terras ele teria algo em contrapartida. Errou feio, pois dons e talentos não nascem de semeaduras, pelo contrário, recebe-se das mãos de Deus (Tg.1:17) e tem que ser desenvolvidos por nós mesmos. Depende 100% de cada um de nós.
Na resposta dada pelo dono da terra ficou claro que ele não aceitou o enterro do talento: “...devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros, e , quando viesse, receberia o que é meu com os juros” (Mat.25:27). O senhor estava dizendo que talentos semeados não nascem da terra, mas podem ser acrescidos nas mãos de banqueiros. Banqueiros aqui simbolizam obreiros que sabem dar chances a quem tem talentos, pelo menos os juros chegarão as mãos do Senhor.
No afã de achar um uso para o bem recebido, quem sabe o homem disse consigo mesmo: “Vou enterra-lo. Quem sabe ele nasce”. Errou, pois o talento não nasceu e nada tinha a ser colhido do talento escondido. O que ele queria dizer com o enterro do talento, é que não havia um lugar plausível para usa-lo.
Este é o problema maior de muita gente hoje, esquecem-se que o Senhor Jesus dá a todos nós, seus preciosos dons e talentos, para um uso útil: “Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil”(I Cor.12:7).
Amados (as), não inutilize seus (ou seu) talentos. Encontre lugar para usa-lo onde quer que seja. Não o enterre alegando falta de oportunidade, pois em algum lugar no reino, haverá uma utilidade a altura do seu talento, a você compete apenas achar esse lugar. Ore a Deus, Ele irá revelar a você, o que o Senhor não quer e no seu retorno encontrar seus dons e talentos enterrados e sem uso. Cuidado, pois não encontrarás uma desculpa razoável diante Dele. Isso pode comprometer até mesmo sua salvação (Mat.25:30)
Ps: Se tiver que mudar de igreja para ser útil ao Reino, ore a Deus e não pense duas vezes, pois não estarás pecando. Pecando estarás se continuar inútil ao Reino.
3) Tinha visão errada do seu senhor e se relacionava mal com ele
“...Conhecia-te que és um homem duro...”. Que pensamento mais tolo. O pobre mordomo imaginava seu senhor como um tirano, um déspota insensível que só pensava em castiga-lo se falhasse. Se o empresário fosse assim tão frio e insensível como imaginava seu funcionário não teria deixado eles à vontade com seus bens a mercê dos mordomos.
Infelizmente, hoje no Reino de Deus, muitos estão parados em relação a talentos e dons exatamente por não conhecer seu Senhor na intimidade e por não se relacionar bem com Ele. Relacionam-se baseados no que ouvem por bocas alheias e naquilo que aprendem de terceiros e não por experiência pessoal.
Amado de Deus é hora de buscarmos algo mais profundo com Deus, e assim, descobrir o que Ele quer de nós em relação a seu reino aqui na terra.
4) Preferiu a Neutralidade
Aquele homem pensou que enterrando o talento recebido, ficaria neutro e não precisaria nem se desculpar em relação a seu senhor. Ele entenderia sua preferência pela neutralidade e não cobraria dele o não uso do talento, afinal, era só um, e não faria falta a seu senhor. Mas neutralidade, "murismo", indecisão são coisas que estão fora do dicionário divino. Quem assim procede, mais cedo ou mais tarde irá atrair para si a ira do Senhor.

Não tem nenhuma desculpa amado de Deus, para você deixar de usar os dons e talentos que Deus lhe deu. Mesmo que seu pastor, sua pastora, não use você, não valorize você, procure uma seara para fazer a diferença, pois grande é a seara e poucos são os obreiros, e Deus procura os verdadeiros adoradores! Afinal, alguma coisa você sabe fazer para Ele. Não importa o que. Procure seu lugar no Reino de Deus, não importa onde! Não deixe nada e nem ninguém roubar a sua alegria de servir a glorificar o reino de Deus!
Como diriam no mundo, se a estrela deles não brilha, não permita que eles apaguem a sua!
Paz a todos os corações!
Missionária Fabiana Alcantara

quarta-feira, 22 de julho de 2009

FOFOCA?!?



“Há alguns que falam como que espada penetrante, mas a língua dos sábios é saúde.” (Provérbios 12:18)
A fofoca é um mal presente na sociedade contemporânea. Pessoas fofocam no ambiente familiar, nos espaços de trabalho, dentro dos elevadores, em ônibus coletivos, enfim, sempre que têm oportunidade. De acordo com o dicionário Caldas Aulete, significa “comentários sobre a vida alheia, mexerico, boato”. E já faz parte da natureza do homem moderno. Até mesmo as crianças já tem tal prática.
Entretanto, embora esta prática tenha tornado-se algo natural dentre os homens, o que existe na Bíblia a este respeito? Será que as Escrituras Sagradas aprovam tal costume? Ou seria pecado? Certamente muitas cristãos pensam que esta atitude é bíblica. Fofocam sobre seus próprios pastores, a respeito de lideranças de outras denominações, vizinhos, colegas de trabalho, familiares e sobre qualquer pessoa que passar pela frete. Caso fosse possível, fofocariam até mesmo sobre Jesus Cristo.
Contudo, esta é uma prática condenável pela Bíblia. O verdadeiro cristão, com desejo sincero de seguir a Deus em todas as áreas da vida, deve evitar este assunto em todas as ocasiões. Não há nenhuma hipótese, de acordo com a Bíblia, em que a fofoca possa ser praticada. O apóstolo Paulo deixou alguns importantes ensinos milenares a serem observados com atenção. Há um trecho muito interessante na carta aos Colossenses:
“Mas agora, despojai-vos também de tudo: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca. Não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do velho homem com os seus feitos, E vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou; Onde não há grego, nem judeu, circuncisão, nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou livre; mas Cristo é tudo em todos.” (Colossenses 3:8–11)
Todo mexerico, sem exceção, contêm palavras torpes. A própria fofoca em si é um tipo de malícia e maledicência – e parte significativa de seu conteúdo traduz mentiras. Então, de acordo com a passagem bíblica citada, todos devem deixar de lado esta prática. O autor incentiva as pessoas a adotarem novas práticas, revestindo-se de novidade de vida. Importante observar que não há, na Bíblia, nenhuma exceção possível em que Deus permita a fofoca.
O apóstolo Pedro também critica o mexerico. ”Deixando, pois, toda a malícia, e todo o engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações, desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo;” (1 Pedro 2:1–2) Várias das pessoas que fofocam tem inveja daquelas pessoas sobre as quais murmuram, e não tem coragem de fofocar face a face com as vítimas da fofoca. Como percebe-se nestas palavras de Pedro, toda a malícia, fingimento, inveja e murmuração devem ser deixados (abandonados, apartados, largados, colocados de lado).
O autor do livro de Provérbios diz que “o tolo de lábios ficará transtornado” (Provérbios 10:10), O mesmo escritor diz: “até o tolo, quando se cala, é reputado por sábio; e o que cerra os seus lábios é tido por entendido.” (Provérbios 17:28). Este trecho bíblico é tão claro e óbvio que dispensa comentários. Só mesmo quem quer desobedecer a Deus fofoca conscientemente. E quem o faz de maneira consciente, o conselho é clamar a Deus por perdão e pedir força ao Criador para ser liberto deste vício pecaminoso. Afinal de contas, a fofoca nada mais é do que pecado, e “o salário do pecado é a morte” (Romanos 6:23).
Fomos libertos para viver verdadeiramente livres! Gastemos nosso tempo com as coisas do Reino, e na seara do Mestre, pois grande é a seara e poucos os ceifeiros!
Paz aos corações!
Missionária Fabiana

terça-feira, 30 de junho de 2009

GRATIDÃO A DEUS!



Mais um ano de vida completo hoje, Senhor.


E meus olhos voltam-se a Ti,


enquanto meu coração agradece.


Nascer é um milagre.


Viver é um milagre.


Dois milagres que vêm de mãos dadas com o mistério.


Eu poderia não ter nascido.


E o mundo continuaria a sua marcha, sem mim.


Mas eu existo. Estou viva

.

Rodeada pelo calor humano e pela amizade


de tantos corações que me querem bem:


meus pais, meus familiares,amigos e benfeitores.


Viver é estar a caminho, em busca de uma constante realização pessoal.


Preciso de Tua benção, Senhor, para crescer,


para acertar,para seguir em frente, com otimismo,coragem e perseverança.


A vida é uma Liturgia, e meu Ofertório de hoje é mais um ano de existência.


Obrigada, Senhor, porque eu existo.


Obrigada pela fé que eu tenho e pelaesperança que ilumina minha jornada.


A vida é bela e digna de ser vivida.


Obrigada, Senhor!


Louvado seja Teu nome!


Glorificado seja Jesus de Nazaré!


Paz a todos os corações!


Missionária Fabiana

segunda-feira, 29 de junho de 2009

QUANDO O AMOR BATE A PORTA!



NÃO ERA PRIMAVERA, NEM SENTIA A BRISA SUAVE DO OUTONO.

QUANDO ELE CHEGOU NÃO HOUVERAM TROVÕES, NÃO HOUVERAM FOGOS DE ARTIFÍCIOS E MUITOS MENOS SINOS A BADALAR.

ELE SIMPLESMENTE FOI ADENTRANDO NUMA BRISA SUAVE E PREENCHEU TODO O MEU INTERIOR.

QUANDO PERCEBI, NÃO HAVIA MAIS ESPAÇO PARA TRISTEZA, AMARGURA E NÃO HAVIA MAIS PRANTO EM MINHA FACE, TUDO FORA TROCADO POR SUA VOZ, SUA PRESENÇA, SEU SORRISO, E SUA IMAGEM.

E EMBORA TUDO PAREÇA PERFEITO, UM INIMIGO SE APODERA DO POBRE CORAÇÃO: O MEDO!

ASSIM SE FEZ INVERNO EM MINHA ALMA ESPERANÇOSA!

PORÉM, ESPERE UM POUCO, O ESPÍRITO SANTO QUE SE MOVE EM NÓS, ME TRAZ A LEMBRANÇA UM PODEROSO REMÉDIO PARA CURAR A MINHA ALMA, UM BÁLSAMO, O BÁLSAMO DE GILEADE, SOBRE FORMA DE PALAVRA:


"O PERFEITO AMOR LANÇA FORA TODO MEDO! "( 1 Jo 4:18)


ENTÃO ME ERGO NOVAMENTE E GRITO FORTE AO MEDO:


_NÃO HÁ LUGAR PARA VOCÊ AQUI! APARTA-TE MALDITO MEDO! LADRÃO DE SONHOS E ESPERANÇA! A PALAVRA ME GARANTE VITÓRIA!


ENTÃO UM FOLEGO DE VIDA ME INVADE E A ESPERANÇA SOPRA EM MEU CORAÇÃO!


"EIS QUE FAÇO NOVAS TODAS AS COISAS!" (AP 21:5)


E O DEUS PERFEITO DE AMOR E BONDADE, DE MISERICÓRDIA E JUSTIÇA, NOVAMENTE ME AJUDA A DERROTAR AS TREVAS DO MEU INTERIOR E FAZ SUA GLÓRIA RESPLANDECER EM MIM! ALELUIA!


QUE VOCÊ, MEU AMADO IRMÃO, MINHA AMADA IRMÃ, VENÇA O MEDO E POSSA DESFRUTAR DO PERFEITO AMOR EM CRISTO JESUS!




MISSIONÁRIA FABIANA ALCANTARA




segunda-feira, 22 de junho de 2009

SENDO ÁGUIA DE DEUS!




Textos:


Jó 39.27-40 “Ou é pelo teu mandado que remonta a águia e faz alto o seu ninho? Habita no penhasco onde faz a sua morada, sobre o cume do penhasco, em lugar seguro. Dali descobre a presa; seus olhos a avistam de longe. Seus filhos chupam sangue; onde há mortos ali ele está.” Isaías 40.31 “mas os que esperam no Senhor renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fadigam.”'




A águia é conhecida em toda terra como a rainha das aves. Ela é a ave mais forte que existe na terra, podendo conduzir em vôo animais pequenos e até mesmo uma criança, tamanha sua resistência. Ela é a ave que voa mais alto, somente igualada em capacidade de vôo pelo condor. Na antiguidade, vários países e conquistadores usavam como insígnias de seus exércitos a figura de uma águia. Os exércitos romanos, os impérios da Rússia, Áustria, Prússia e até mesmo Napoleão também adotaram a águia como brasão. Muito se tem falado e ensinado acerca das águias. Muitas lendas se criaram a respeito dela. Diante de tantas qualidades já expostas e outras das quais ainda vamos falar, podemos entender que Deus criou a águia com propósitos especiais, para que nós pudéssemos extrair dela lições para nossas vidas.


Constrói o ninho no alto


A águia constrói nas alturas (montanhas ou altas árvores). Aproveita ninhos abandonados ou constrói novo. O local de ninho preferido é onde a presa pode ser avistada facilmente. É volumoso e é composto de varas, ramos, raízes, ervas daninhas, e mato. Com o ninho construído no alto, mantém-se acima do perigo (prudência). A Bíblia diz que devemos ser puros como pombas e prudentes com a serpente. O lugar alto do cristão é se estabelecer ao lado do Pai. Estar no lugar alto é estar no refúgio e na fortaleza do Senhor em intimidade com Deus e não ser abalado pelas provações ou alcançado pelos dardos inflamados do inimigo.A nossa missão nos é vista com clareza dos lugares altos, dada a intimidade com Deus, sabemos a vontade de Deus e então cumprimos a nossa missão com eficiência e segundo o coração de DEUS. O lugar do nosso ninho (de nos estabelecermos) é ao lado do Pai. Disso depende a nossa missão.


Olha para o sol


O olhos da águia olham em direção ao sol (Com uma membrana nictante é o único ser que pode olhar direto para o Sol. Uma estorinha contada sobre uma águia que é criada como galinha, diz que depois de várias tentativas de que a águia se lembrar de como era ser uma águia, quando o biólogo a coloca olhando em direção ao sol, ela se desperta e voa alto recuperando a sua alma de águia. O Salmo 121 fala “para os montes vou erguer meu olhar.. do alto me virá o socorro... o meu socorro vem do Senhor”; Jesus diz que “do alto sejais revestidos de poder” em Lucas 24.49. É para o alto que devemos olhar, é de lá que seremos capacitados pelo Espírito Santo de Deus para toda a obra. Nosso sol é Deus. A missão depende de para onde direcionamos o nosso olhar.


Voa acima das nuvens


Algumas águias chegam a ter asas de dois metros de envergadura (largura), mais que o comprimento de um homem! A envergadura das asas, de ponta a ponta, pode alcançar dois metros ou mais. Como pode uma ave desse porte voar acima de três mil metros de altura? As penas de vôo (que se chamam remígios), chegam a ter 50 cm. As pontas das asas são fendidas de modo que ela possa abrir os remígios separadamente como se fossem dedos. Com todo esse equipamento, ela pode considerar-se senhora do espaço. As aves que voam têm o corpo muito leve, inclusive porque seus ossos são ocos. Em algumas partes internas os ossos possuem nervuras, como as de uma asa de avião, para torná-los mais fortes. O esqueleto de uma Águia calva, por exemplo, não pesa mais do que 300 gramas. Alguns ossos são soldados, isto é, ligados uns aos outros, de maneira a dar uma estrutura mais compacta a ave. O osso do peito é adaptado em forma de quilha, como a de um barco, e é chamado de carena, servindo com suporte para a musculatura peitoral. A estrutura óssea da águia é diferente de todas as outras aves. Todas as aves que existem no mundo têm uma estrutura óssea comprida, mas a da águia é cilíndrica; por isso, ela é a única de grande porte que pode voar e descansar enquanto voa, ao contrário das outras que precisam descer para descansar. Voa em direção ao céu. Enfrenta a tempestade e a ultrapassa (na forte tempestade não se esconde nem tenta inutilmente enfrenta-la, mas voa acima dela). A águia é a única que enfrenta uma tempestade. As demais, ao pressentirem uma tempestade, escondem-se. A águia, porém, passa por sobre a tempestade, e voa acima da turbulência das nuvens. Se coloca acima da tempestade. Um dia, tive o privilégio de estar num avião num dia em que nuvens pesadas cobriam o céu de Curitiba, que às três horas da tarde exibia a claridade de um final de tarde e um frio de 7 graus. Acima das nuvens havia um dia claro e ensolarado. No livro de Habacuque encontramos um profeta exasperado pelas circunstâncias, ele faz um relato das situações e questiona Deus, mas termina o seu livro afirmando que apesar das circunstâncias caminha com passos desembaraçados e de cabeça erguida, dada a alegria no Deus que lhe garante a salvação e que é a sua fortaleza. O cristão tem sua confiança em Deus e n’Ele se alegre apesar das circunstâncias. É Deus que lhe possibilita voar acima dos problemas e enxergar o sol através das nuvens densas. A missão depende desse olhar de esperança em meio as adversidades e de estar acima delas.


Enxerga bem o alvo


A águia enxerga mais. Ela tem a visão mais apurada do mundo animal. Sua visão é de trezentos graus, quase o dobro do humano. Sua capacidade de enxergar a distância é oito vezes maior que a do ser humano. Além disso, ela consegue girar a cabeça em 180 graus. Ao longe, de distâncias impossíveis a olhos humanos, a águia avista a sua presa. Segundo os cientistas, ela pode enxergar até três quilômetros de distância. Jesus alerta seus discípulos a enxergar o que não estavam enxergando. Eles lhes mostram que tinham visão limitada da situação. Jesus lhes manda erguer os olhos e olhar os campos que já estavam prontos pra colheita. Enxergar o campo de missão e saber o momento certo de agir, definir alvos, objetivos e caminhar para eles é essencial para a missão ser bem sucedida. É a intimidade com Deus através de sua Palavra, de uma vida devocional ativa, da comunhão com os Santos e do mover do Espírito Santo de Deus em nós que nos faz enxergar adequadamente a missão a nós confiada. Enxergar com clareza os campos é essencial para a missão.


Corre em direção ao alvo


A águia é um animal veloz (percorre 300 km por hora).


“...corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé... Considerai, pois, atentamente, aquele que suportou tamanha oposição dos pecadores contra si mesmo, para que não vos fatigueis, desmaiando em vossas almas.”


O cristão corre, não se arrasta. Ele caminha e faz a obra do Senhor com o melhor de suas forças e persevera (na oração, na obra, na oposição ao pecado, no combate ou na provação). Paulo parece oferecer o segredo desse vigor: considerar Cristo e o que ele suportou. A fim de que não nos deixarmos abater pelo desânimo.


O ritmo da missão e o ânimo para desenvolvê-la vai depender do nosso olhar para Cristo.


Faz o trabalho sujo


A águia é uma ave de rapina que tanto caça animais vivos quanto se alimenta de animais mortos, limpando a natureza dos despojos de outros animais.


A Bíblia diz que ela vai estar onde há morte. E nós também.


Nosso lugar é onde há pecado e o Reino de Deus ainda não se estabeleceu. Jesus falou que não tinha onde reclinar a cabeça. E muitas vezes nós queremos como os discípulos montar tendas onde tudo está muito bem e a glória do Senhor está manifesta. Não nos interessa trabalhar se há dificuldades, queremos conforto, apoio, dinheiro disponível, equipes perfeitas, professores e líderes dóceis e acessíveis a nossa proposta. Nosso lugar não é no conforto. Nosso ministério é de abrir picadas onde não há caminho. Não fomos chamados para a sombra e a água fresca. Fomos chamados a carregar fardos.


Estar disposto ao trabalho sujo e pesado pode definir o resultado da missão


Trabalha em equipe


Vive em dupla (fiel a uma única companheira). Formam casais, e um casal precisa até 35 milhas de território para caçar. Um casal de águias caça frequentemente em conjunto: um persegue a presa até a cansar e o outro desce rápido e apanha-a!


Somos convidados ao trabalho no Corpo de Cristo. Não há espaço pra solidão, pra sobrecarga, para o autoritarismo, pro individualismo. É trabalho em equipe, em interdependência, onde buscamos caminhar juntos, em acordo; crescendo na convivência, respeitando e suportando uns aos outros.


Considerando que o trabalho pode ganhar um ritmo diferente do nosso pessoal, mas certamente será enriquecido pela contribuição do outro. Em alguns momentos teremos uma liderança e em outros estaremos na liderança. O que não significa que ninguém está em posição superior ao outro, mas em funções que exigem diferentes resultados e respostas.


Jesus apresenta o seu ministério caminhando em equipe, formando uma liderança. A solidão não faz parte do trabalho do Reino e sim a corporação. O Espírito distribui dons para que colaboremos na missão, do contrário teria dado todos os dons a uns só - escolhidos. E não é assim.


Estar aberto ao trabalho em grupo fará diferença na missão.


Conclusão


Portanto, a missão a nós confiada vai depender:


- de estabelecermos o nosso ninho (de nos) é ao lado do Pai.


- de direcionarmos o nosso olhar para as alturas.


- de ter esperança em meio às adversidades e nos colocarmos acima delas.


- de enxergar com clareza os campos da missão.


- de manter o ritmo da missão e o ânimo olhando para Cristo e considerando o que ele sofreu.


- de estar disposto ao trabalho sujo e pesado.


- de estar aberto ao trabalho em equipe, como corpo.


Que possamos usar a águia como exemplo e trazer à memória que a missão vai depender dessas características para ser bem sucedida.


E que o Deus criador e sustentador de todo o universo nos capacite e sustente a cada dia no desenvolvimento da missão do Reino de Deus!!


Missionária Fabiana Alcantara






segunda-feira, 8 de junho de 2009

CULTO EM AÇÃO DE GRAÇAS!

Sábado passado estivemos nos confraternizando com o povo de Deus de Jardim Catarina, em São Gonçalo, RJ. O Motivo desta festa foi a grande Vitória recebida pelo Pastor Peterson! Em breve estaremos dando maiores detalhes sobre esta vitória! Pelas fotos você já pode perceber que grande é a alegria do povo de Deus quando um ungido do Amantíssimo Pai é exaltado! Glória a Deus! Aleluia!

(Da esquerda para direita:
Presbitero Marcos, Pastor Peterson, Presbítero Robison,
Pastor, Presbítero Ramiro.)


(Pastor Peterson e sua esposa, irmã Santana)

( o brado de vitória do povo de Deus!)

(Presbítero Marcos, Pastor Peterson,Presbitero Ramiro,
Presbitero Marcos Antonio,Presbítero Robson)


(Cantora e Missionária Cristiane e sua filha a profetisa Sara)

(jovens compromissados com Deus! Jovens do meu coração!
Deus os abençõe!)


(profeta Samuel!
Benção de Deus em alegria!)


Como sempre eu amo tirar as fotos e não saio em nenhuma, porém se quiser me ver me procure onde tiver uma botija transbordante de azeite, onde exista gente compromissada com a Palavra de Deus, me encontrará com certeza!

Que a paz seja a cada coração!

Missionária Fabiana

sexta-feira, 29 de maio de 2009

CASAMENTO: BENÇÃO DE DEUS!



"Não é bom que o homem
esteja só far-lhe-ei

uma companheira que lhe seja suficiente."

(Gn 2.18)




Venho me perguntando o que faz as pessoas optarem pelo casamento se contam com alternativas para a vida a dois. A justificativa mais comum para o casamento é o amor. Mas devemos considerar que o amor é uma experiência cuja definição está em xeque não apenas pela quantidade enorme de casais que "já não se amam mais", como também pelo número de pessoas que se amam, mas não conseguem viver juntas.

Talvez por estas duas razões -- o amor eterno enquanto dura e o amor incompetente para a convivência -- nossa sociedade providenciou uma alternativa para suprir a necessidade afetiva das pessoas: relacionamentos temporários em detrimento do modelo indissolúvel. Mas, mesmo assim, o número de pessoas que optam pelo casamento em sua forma tradicional, do tipo "até que a morte vos separe", cresce a cada dia.

Acredito que existe uma peça do quebra-cabeça que pode dar sentido ao quadro. Trata-se da urgente necessidade de desmistificar este conceito de amor que serve de base para a vida a dois. Afinal de contas, o que é o amor conjugal? Para muitas pessoas, o amor conjugal é confundido com a paixão. Paixão é aquela sensação arrebatadora que nos faz girar por algum tempo ao redor de uma pessoa como se ela fosse o centro do universo e a única razão pela qual vale a pena viver. Esta paixão geralmente vem acompanhada de uma atração quase irresistível para o sexo, e não raras vezes se confunde com ela. Assim, palavras como amor, paixão e tesão acabam se fundindo e tornando-se quase sinônimas.

Este conceito de amor justifica afirmações do tipo: "sem amor nenhum casamento sobrevive", "sem paixão, nenhum relacionamento vale a pena", "é o sexo apaixonado que dá o tempero para o casamento".

Minha impressão é que todas estas são premissas absolutamente irreais e falsas. Deus justificou a vida entre homem e mulher afirmando que não é bom estar só. Nesse sentido, casamento tem muito pouco a ver com paixão arrebatadora e sexo alucinante.

Casamento tem a ver com parceria, amizade, companheirismo, e não com experiências de êxtase.

Casamento tem a ver com um lugar para voltar ao final do dia, uma mesa posta para a comunhão, um ombro na tribulação, uma força no dia da adversidade, um encorajamento no caminho das dificuldades, um colo para descansar, um alguém com celebrar a vida, a alegria e as vitórias do dia-a-dia.

Casamento tem a ver com a certeza da presença no dia do fracasso e a mão estendida na noite de fraqueza e necessidade.

Casamento tem a ver com ânimo, esperança, estímulo, valorização, dedicação desinteressada, solidariedade, soma de forças para construir um futuro satisfatório.

Casamento tem a ver com a certeza de que existe alguém com quem podemos contar apesar de tudo e todos. A certeza de que, na pior das hipóteses e quaisquer que sejam as peças que a vida possa nos pregar, sempre teremos alguém ao lado.

Nesse sentido, não é certo dizer que sem amor nenhum casamento sobrevive, mas sim que sem casamento nenhum amor sobrevive. Não é certo dizer que sem paixão, nenhum relacionamento vale a pena, mas sim que sem relacionamento nenhuma paixão vale a pena. Não é o sexo apaixonado que dá o tempero para a vida a dois, mas a vida a dois que dá o tempero para o sexo apaixonado. Uma coisa é transar com um corpo, outra é transar com uma pessoa. Quão mais valiosa a pessoa, mais prazeroso e intenso o sexo. Quão menos valorizada a pessoa, mais banal a transa.

Assim, creio que podemos resumir a vida a dois, entre homem e mulher, idealizada por Deus, em três palavras que descrevem um casal bem-sucedido:


Um casal bem-sucedido é um par de amantes.

Um casal bem-sucedido é um par de amigos.

Um casal bem-sucedido é um par de aliados.


São três letras A que fornecem a base de uma relação duradoura. Amante se escreve com A. Amigo se escreve com A. Aliado se escreve com A. E não creio ser mera coincidência o fato de que todas as três, amante, amigo e aliado, se escrevem com A... A de amor.

...........


O Ed René Kivitz é teólogo, com mestrado em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo, e pastor presidente da Igreja Batista de Água Branca, SP. É também palestrante e escritor, e dentre suas obras mais conhecidas estão "Vivendo com propósitos" e "Outra Espiritualidade", ambas publicados pela Editora Mundo Cristão.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

ESTRATÉGIAS DE GUERRA!

Existem vários tipos de guerra. Hoje faremos menção a guerra espiritual e as armas que foram usadas pelos servos de Deus para vencê-las!
Uma das mais famosas guerras Biblicas, foi travada entre Davi e Golias!
Golias era um gigante da cidade de Gate, e um campeão dos filisteus. Segundo a Bíblia, possuía a altura de seis côvados e um palmo (2,88 metros). No combate que teve contra Davi, usava uma cota de malha que pesava 5000 ciclos (57 kg). Como Davi era um rapaz ainda, provavelmente só a cota de malha de Golias já atingia seu peso. Mas Davi ainda tinha que lutar com um gigante que carregava um grande escudo para proteção e uma lança, cuja ponta metálica pesava 600 ciclos (6,8 kg). Sua haste foi descrita na Bíblia como "cilindro dos tecelãos".
Davi, era o caçula da casa de Jessé, o pastor de Ovelhas, o pequeno, porém, apenas com uma pedra e uma funda, Davi, o pequeno servo, acabou com a vida do gigante Golias!
Neste momento eu faço uma pausa neste texto e lhe pergunto?
Qual o gigante tem lhe afrontado?
Qual seu problema?
Contra quem tem sido sua luta?
Em primeiro lugar gostaria de esclarecer um ponto, que lhe ajudará no primeiro passo para sua vitória:

“Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais 16 Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno” (Efésios 6:12 e 16)."

A sua luta, a minha luta, não é contra o ser humano, não é contra seu chefe, não é contra seu marido, seu vizinho, seu inimigo físico!
E sim contra o que reina na esfera espiritual que domina esta pessoa e a faz lutar, invejar, cobiçar, pisar você!

Sabendo disso vamos ao segundo passo:

Quais são as armas que você usará na sua guerra?

Davi usou a funda, Ester usou o jejum, Elias Clamou fogo do céu, Josué tocou trombeta, cada homem e mulher de Deus tinha estratégia diferente para vencer a batalha.

Para ter sua própria estratégia você precisará usar uma arma poderosa, infinitamente mais poderosa que quaisquer outra: A ORAÇÃO!

Dobre seus joelhos e peça a Deus que te mostre o caminho, a direção, as estratégias para vencer sua guerra. Nada amados é nos dado de graça, sem o esforço da busca, não haverá alegria do encontro!

Temos de nos dobrar perante a SABEDORIA DE DEUS e ouvir o que ELE tem para nós, e não buscarmos fórmulas prontas.

Com um gesto simples você terá toda sua estratégia de batalha e certeza da vitória, porque "Fiel é o que prometeu..."

E se você ainda não sabe como usar essa poderosa ferramenta chamada oração, busque ajuda do seu pastor para que juntos consigam derrubar o gigante da sua vida!


Paz seja aos vossos corações!

Missionária Fabiana